Baixa Autoestima: O que é e como vencê-la?



A baixa autoestima está relacionado em tudo que deixa de alguma forma uma fragilidade em qualquer ser humano, são pensamentos e sentimentos causados por palavras de negatividade ou por falas de outras pessoas.

 

Atualmente quando uma pessoa diz que está com baixa autoestima nas redes sociais ou em conversas com seus amigos, alguns obviamente irão dizer palavras de incentivo e outros pensaram que é uma besteira.

O maior problema de qualquer usuário que utiliza uma foto de artistas, desenhos que gostem é uma palavra faz todo sentido seja positiva ou negativa.


Quando recebemos um comentário negativo em uma foto que demorou cerca de horas para serem feitas, essas pessoas podem reagir de duas formas:

A primeira não se importar com esses comentários e outra é acreditar que tudo que foi dito sobre nós é verdade, mesmo que o indivíduo do outro lado da tela não nos conheça.

Por isso devemos sempre antes de escrever algo entender como que o usuário do outro lado receberá esse comentário.


O que é baixa autoestima?

Diferenciando autoestima elevada e baixa autoestima são quando pessoas se sentem bem consigo mesmo, com o seu peso e tem uma opinião positiva sobre tudo que ela faz a baixa autoestima é justamente ao contrário disso.

Está ligada justamente com:

  • Insegurança/ Incapacidade em tentar algo novo.
  • Apresentam pensamentos negativos durante o tempo todo.
  • Mostra uma fragilidade em relação às opiniões dos outros.

O que causa a baixa autoestima?


1. Opiniões negativas de amigos ou parceiros, podem ser uma das causas da baixa autoestima principalmente quando são para apontar erros ou falhas. 

2. Criação de um complexo de inferioridade ou perfeição a uma criança até o período da adolescência influenciando no comportamento quando se tornar um adulto.

Uma situação bastante parecida entre pais e filhos é no momento de notas de provas escolares, criamos na nossa mente uma competitividade entre um colega de classe que tirou uma nota acima do que com o nossos próprios filhos.

Invés da criança receber parabéns ela recebe um“ Você tinha que tirar nota melhor, fulano tirou 10 e você 9”.

É nessa falta de elogios no período infantil pode influenciar que a criança viva em uma bolha chamada autoestima baixa, fazendo que se ele ou ela tirar uma nota menor do que a máxima de outro aluno (a) apresentar um complexo de inferioridade.

3.  O Bullying que ocorre no período da fase da adolescência, quando alunos escolhem uma pessoa indefesa para fazer seus julgamentos.

Esses julgamentos estão relacionados com o peso, cabelo, roupas utilizadas no colégio mesmo que seja uniforme padrão, forma de falar e agir durante uma situação.

Para esse grupo de alunos todos os seus momentos de fraquezas, podem ajudar que as palavras de alguma forma fazem que a sua opinião sobre si mesmo seja alterada.

Palavras como: você é feia, você nunca irá conseguir nada e relacionado ao corpo pode influenciar que você apresente alguns anos mais tarde a baixa autoestima.

Principais sintomas de baixa autoestima


  • Comparação com outras pessoas
  • Sentimentos de culpa e inferioridade.
  • Medo do que os outros irão pensar.
  • Medo de fazer algo diferente.
  • Falta de confiança.
  • Falta de amor-próprio
  • Apresenta pensamentos negativos
  • Isolamento
  • Pessoas com medo do julgamento de outras pessoas.

Comparação X Realidade

Abrindo um parentese que tem muita relação ao tema as redes sociais hoje em dia, fazem que haja de alguma forma uma comparação com aquela influenciadora digital que cada um acompanha.

A felicidade dela em gravar stories durante o período da manhã, a dieta e os resultados com seu próprio corpo, a segurança nas suas próprias conquistas e na maneira de responder usuários que não gostam do seu trabalho.

A realidade após desligar o celular pode ser completamente oposta, talvez essa influenciadora viva com uma depressão e baixa autoestima por ler diferentes comentários diariamente.

Enquanto é gravado um stories preocupada com a resposta ela pode ler diversos comentários de pessoas que não se preocupam com a saúde mental alheia.

Por isso não devemos se comparar com ninguém, afinal quando desligamos nossos aparelhos eletrônicos ninguém sabe o que ocorre depois.

Como vencer a baixa autoestima?


Depois de três anos convivendo com a baixa autoestima a primeira coisa que aprendi é que tudo leva tempo, não será de um dia para a noite que você acordará se sentindo bonita (o) ou confiante.

Quando começamos a praticar  um exercício de começar a olhar no espelho e se aceitar é longo e pode ser exemplificado como uma montanha-russa.

Um dia você se sente linda e disposta a fazer tudo, no outro pensamos na opinião daquele parente ou amigo relacionado com a nossa aparência.

É muito simples dizer “Não ligue para comentários negativos” quando em qualquer rede social pode receber textos enormes ou curtos apontando falhas e defeitos visto por usuários.

Devemos sempre tentar algo novo e evitar conviver com grupos de indivíduos, que fazem que duvidarmos da nossa capacidade, da beleza que cada um temos e na forma que somos.

O primeiro passo é cortar essas relações e ler diariamente frases ou assistir vídeos de alguém que vai fazer que a sua fragilidade, insegurança e pensamentos negativos comessem a não ser mais frequentes.

Caso não saiba se realmente enfrenta esse problema busque observar os sintomas e fazer alguns testes

Esses testes são importantes para verificar o nível de autoestima baixa que você está enfrentando. Não esqueça de procurar ajuda psicológica.

Livros para ajudar você a melhorar sua autoestima!


Psicóloga ensina nesse livro exercícios para aumentar a sua autoconfiança de acordo com dúvidas mais frequentes de pessoas que enfrentam a baixa autoestima


Manual criado por Mica Rocha, usando a sua própria história de vida abordando temas fortes como bullying, insatisfação com a vida com fácil compreensão.


A última indicação de livros completamente necessários para entender e se amar é escrito pelo autor Haemin Sumin, que aborda temas necessários para se sentir bem consigo mesmo evitando principalmente comparações.


Frases para ajudar você a sentir melhor consigo mesmo!


 









Conclusão:

Nessa postagem você aprendeu a diferenciar uma pessoa com autoestima elevada e baixa autoestima, conseguiu entender que se comparar a alguém pode ser completamente errado principalmente quando não sabemos o que é passado por trás das câmeras.

Descobriu quais são os principais sintomas e terá acesso a um teste que permite identificar se tem ou não baixa autoestima.

Escreva um comentário